DIAMANTINA - Minas Gerais

(Passadiço da Glória - Conhecido como um dos príncinpais pontos turísticos da cidade)

A cidade mineira de Diamantina é porta de entrada para a riqueza cultural existente no Vale do Jequitinhonha. Está incrustada no alto da Serra do Espinhaço, a 1.280 metros de altitude, e dominada pela silhueta do Pico do Itambé. A cidade encontra-se a 285 km da capital mineira.

(mercado de Diamantina)

O antigo Arraial do Tijuco (ou Tejuco) é o berço de figuras ilustres que vão desde a famosa e legendária Francisca da Silva de Oliveira – Chica da Silva – ao ilustre presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira. Manteve este nome primitivo até 1831, ano em que se emancipou do município do Serro, passando a se chamar desde então Diamantina. Esse nome deixa claro o motor principal de sua história: a extração de diamantes, iniciada nos primeiros anos do séc. XVIII. Devido a grande quantidade de diamantes encontrados, a Coroa Portuguesa manteve regras rígidas para a exploração até a segunda metade do séc. XIX, quando iniciou a decadência da exploração, começando à partir daí a se destacar como pólo comercial da região.

  

Diamantina se multiplica em diversas atrações que encanta turistas e residentes, desde seu conjunto arquitetônico colonial ao pôr-do-sol por entre as montanhas do Espinhaço. Dentre tantas e belas construções, vale destacar o famoso Passadiço da Glória, a Casa de Chica da Silva (atualmente sede do IPHAN e museu), o Mercado Municipal (local que inspirou Oscar Niemeyer no desenho das colunas do Palácio da Alvorada), o Prédio da Intendência, o Prédio do Fórum, a Casa do Pe Rolim (atualmente Museu do Diamante), Palácio Diocesano, a Casa do Muxarabiê e o Museu da Casa de JK. Vale destacar que a Casa de Chica da Silva possui uma lateral de muxarabiê, anteparo mourisco de treliça de madeira que permite se veja o exterior sem ser visto.

  
Casa de JK, e ao lado casa de Chica da Silva atualmente sede do IPHAN e museu

Não se pode deixar de visitar também as igrejas centenárias de Diamantina: de Nossa Senhora do Rosário (1731), de São Francisco de Assis (1762), de Nossa Senhora das Mercês (1772), de Nossa Senhora do Carmo (1775 – construção financiada pelo Contratador João Fernandes), de Nosso Senhor do Bonfim (1771), Capela de Nossa Senhora do Amparo e Igreja da Luz. Já a imponente Catedral Metropolitana é uma construção já do início do séc. XX, a qual substituiu a antiga Igreja de Santo Antônio.

   

    

A cidade, além de manter preservada sua história, preservando principalmente suas construções antigas, também é um berço cultural pulsante. Tem sua marca nas Serestas e Vesperatas – noite em que vários músicos ocupam as janelas e sacadas dos casarões do centro da cidade, tocando para o público que se aglomera nas ruas, principalmente na R. da Quitanda. Vale destacar também a tradicional Festa do Divino e o famoso Carnaval, um dos melhores de Minas Gerais.


Ainda há opções de conhecer o Caminho dos Escravos, o Mirante do Cruzeiro, a Gruta do Salitre e a de Monte Cristo, o Sítio Arqueológico do Batatal (pinturas rupestres), além das inúmeras cachoeiras que circundam a cidade.

 
(Caminho dos escravos Fonte: imagem da internet)

COMO CHEGAR: saindo de BH, seguir pela BR 040 até o trevo da BR 135, seguindo até a cidade de Curvelo. Em Curvelo seguir pela BR 259 até Diamantina. Outro caminho é o charmoso e pitoresco percurso da Estrada Real, passando pela Serra do Cipó, Conceição do Mato Dentro, Serro, Milho Verde e São Gonçalo do Rio das Pedras – é o mais interessante, onde se tem belezas naturais, aventura, história, comidas típicas e a verdadeira mineiridade.

Texto: JD, imagens: Fábio Cabral Durso









10 comentários:

lollyoliver disse...

Sempre soube que Diamantina é um grande berço cultural e um ótimo lugar para se conhecer, sendo perfeito em todos os sentidos, arquitetura, paisagens, beleza e etc. Muito lindas as fotos, um dia conhecerei!
http://lollyoliver.wordpress.com/

Rock in Culture disse...

Muito legal as fotos não conhecia esse lugar as igrejas são belas como sempre porem essa rique za é inutil. Mas muito legal o post

Almir Ferreira disse...

eu já trabalhei no arquivo nacional e pude conher farta documentação sobre esta região de minas, dá vontade de conhecer.

Grande Abraço,

Almir Ferreira
Rama na Vimana

Vicious disse...

Muito bom, estremamente informativo. Ainda conhecerei.

Pive disse...

Lindas fotos. Sou gaucho acredito que jamais vou conhecer pessoalmente.

Jéssica Costa disse...

Você como sempre surpreendendo em cada postagem que faz.
Ameeei essa!

Millena Blogueira disse...

Belas fotos conterrâneo.

gcavalcanti disse...

Tá ai um lugar lindo e que eu morro de vontade de conhecer. Principalmente pelas trilhas.

Agnes disse...

Lugares lindos e aconchegantes... morro de vontade de conhecer!

Lucas Nuti disse...

Super legal essas postagens sobre os lugares, as pessoas tem que conhecer mesmo o próprio mundo.
Obrigado pela experiência. Abraço...


http://alteregodonuti.blogspot.com/

Postar um comentário

Curta e compartilhe nossa página no Facebook!